Estrutura Geral

A MGP está baseada no Guia PMBok 5ª Edição, que é um conjunto de boas práticas na gestão de projetos organizado pelo instituto PMI. O PMBoK adota 5 (cinco) grupos de processos - Iniciação, Planejamento, Execução, Monitoramento/Controle e Encerramento -, para o gerenciamento de projetos, e 10 (dez) áreas de conhecimento - escopo, tempo, custo, risco, qualidade, recursos humanos, aquisições, integração, comunicação e partes interessadas.

Ela está estruturada com base em 4 elementos básicos, que representam “quem” faz “o que”, “como” e “quando”:

- Grupos de Processos (quando) - Os grupos de processos da MGP apresentam o conjunto de procedimentos que devem ser executados no gerenciamento do projeto, ao longo das fases do seu ciclo de vida.

- Fluxogramas (como) - Um fluxograma dentro da MGP representa, de forma gráfica, um conjunto de passos e tarefas que devem ser executados dentro de cada Grupo de Processos, identificando os responsáveis e o resultado gerado. Os Grupos de Processos envolvem a produção e modificação de artefatos do projeto.

- Artefatos (o que) - Em sentido amplo, o termo artefato representa um elemento tangível de um projeto, podendo assumir várias formas, como: modelo, documento ou relatório. A MGP flexibiliza a obrigatoriedade de alguns artefatos dependendo da característica do projeto, mas todos os artefatos obrigatórios descritos na MGP devem ser elaborados ao longo do projeto. A MGP disponibiliza modelos (templates) para os seus artefatos, com o objetivo de orientar e facilitar a sua elaboração.

- Papéis (quem) - Um papel define as responsabilidades de um profissional ou grupo de profissionais que participam do gerenciamento do projeto. As responsabilidades normalmente estão associadas aos artefatos que cada papel deve produzir e manter ao longo das atividades que realiza. Na prática, um mesmo papel pode ser desempenhado por mais de uma pessoa, assim como uma mesma pessoa pode assumir vários papéis ao longo do projeto.