Fases

Fases

 Do ponto de vista do gerenciamento, o ciclo de vida do software do RUP é dividido em 4 fases sequenciais, cada uma concluída por um marco principal, ou seja, cada fase é basicamente um intervalo de tempo entre dois marcos principais. A cada final de fase, uma avaliação é executada para determinar se os objetivos da fase foram alcançados. Uma avaliação satisfatória permite que o projeto passe para a próxima fase. Cada fase possui suas próprias metas, seu próprio estilo de iteração e geralmente customiza suas tarefas e produtos de trabalho de forma diferente.

 

 

 

02 - Proposta de Projeto

Esta fase abrange o entendimento do problema e a identificação de suas necessidades. A partir dessas informações, é definido o escopo inicial e é estimado o tamanho funcional do projeto, cujo objetivo é obter aprovação de todos os Stakholders sobre a continuidade do projeto.

Marco: Insumo para análise de viabilidade do projeto.

Iniciação

Nesta fase o projeto já está aprovado. Os objetivos da iniciação são: definir o escopo e a visão geral da iteração ou demanda; realizar o planejamento do projeto; definir a arquitetura que será adotada com base nas diretrizes do órgão. Os envolvidos sobre os objetivos do ciclo de vida do projeto entram em consenso e a equipe técnica é definida. A iniciação tem muita importância principalmente para os esforços dos desenvolvimentos novos, nos quais há muitos riscos de negócio e de requisitos que devem ser tratados para que o projeto possa prosseguir adequadamente. Para objetos que visam manutenções em um 15 | MINISTÉRIO DA SAÚDE sistema, a fase de iniciação é mais rápida, mas ainda se concentra em assegurar que a demanda seja viável.

Marco: Escopo da iteração ou demanda.

Elaboração

Esta fase abrange o detalhamento da solução e a transformação dos requisitos do produto em casos de uso que darão suporte à atualização do documento arquitetural e a estimativa do esforço, de acordo com a métrica contratada. Com base nas informações novas obtidas durante a fase é possível que a visão sistêmica seja refinada, estabelecendo uma compreensão sólida dos casos de uso mais críticos que conduzem as decisões de arquitetura e planejamento da(s) próxima(s) iteração(ões). Toda documentação de análise é gerada nesta fase.

Marco: Detalhamento da solução a ser construída ou alterada.

Construção

Esta fase abrange o desenvolvimento do sistema com base nos requisitos especificados e na arquitetura definida. Ela está essencialmente relacionada a projeto, programação, teste e homologação do sistema. As partes do sistema são desenvolvidas paralelamente e integradas durante esta fase. Diversas atividades de testes também são executadas a fim de se validar o produto de software, testando as funcionalidades de cada módulo. Ao final deve-se ter um produto em funcionamento pronto para ser liberado para o gestor.

Marco: Sistema funcionando em ambiente de homologação.

Transição

Esta fase abrange a execução do plano de implantação, a finalização e disponibilização do material de suporte operacional, o treinamento de usuários e a entrega do produto para os usuários finais.

Marco: Sistema implantado e funcionando em ambiente de produção.

 Estrutura

Além das fases, a MDS está estruturada com base em 4 elementos básicos, que representam “quem” faz “o que”, “como” e “quando”:

• Papéis (quem) - Um papel define as responsabilidades de um profissional ou grupo de profissionais que participam do desenvolvimento do projeto. As responsabilidades normalmente estão associadas aos artefatos que cada papel deve produzir e manter ao longo das atividades que realiza. Na prática, um mesmo papel pode ser desempenhado por mais de uma pessoa, assim como uma mesma pessoa pode assumir vários papéis ao longo do projeto. | 16 METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

• Artefatos (o que) - Em sentido amplo, o termo artefato representa um elemento tangível de um projeto. Podem assumir várias formas como: modelo, documento, código fonte ou executável. A MDS não inclui todos os artefatos de um projeto de desenvolvimento, mas todos os artefatos obrigatórios descritos na MDS devem ser elaborados ao longo do projeto. A MDS disponibiliza modelos (templates) para os seus artefatos, com o objetivo de orientar e facilitar a sua elaboração.

• Atividades (como) - Uma atividade na MDS representa um conjunto de passos e tarefas que um profissional, que desempenha o papel responsável por aquela atividade, deve executar para gerar algum resultado. As atividades envolvem a produção e modificação de artefatos do projeto.

• Fases (quando) - As fases da MDS apresentam a sequência e a dependência entre as atividades do projeto ao longo do tempo. As atividades no fluxo são divididas em fases do ciclo de vida do projeto e nos papéis responsáveis pela execução de cada uma.