Sobre a MDS

A Metodologia de Desenvolvimento de Software - MDS é um conjunto de boas práticas em desenvolvimento de sistemas que serão utilizadas pelas equipes de desenvolvimento e manutenção de softwares do DATASUS.


A elaboração da metodologia é uma iniciativa da Coordenação Geral de Análise e Manutenção, precedida de um estudo da evolução dos processos, artefatos e orientações existentes no Processo de Gerenciamento e Desenvolvimento de Sistemas (PGDS), nas metodologias apresentadas no mercado e disponível às equipes de desenvolvimento de sistemas do DATASUS.


A utilização permitirá às equipes da Coordenação Geral de Análise e Manutenção padronizar a forma de desenvolver software, alinhando os processos de trabalho e criando a documentação adequada. Com isto, obtém-se a melhoria na governança, o que reflete em aumento da eficácia, eficiência, efetividade, produtividade e menor dependência dos indivíduos, aumentando a retenção do conhecimento na organização.

            MDS SOBRE

Estrutura Geral

A MDS está baseada no processo RUP (Rational Unified Process), que é um conjunto de boas práticas coletadas de engenharia de software. O RUP utiliza o processo Iterativo, que é a sequencia de passos incrementais, isto é, a execução de um ciclo de vida de um projeto de sistemas tem como resultado uma versão do sistema liberada interna ou externamente. Ou seja, cada nova versão de sistema entregue à área requisitante poderá receber melhorias de forma incremental em relação à versão anterior. A MDS está desenhada para adotar padrões próprios, como: artefatos, formulários, modelos e instruções utilizadas ao longo do ciclo de vida dos projetos de desenvolvimento de sistemas.

Ela está estruturada com base em 4 elementos básicos, que representam “quem” faz “o que”, “como” e “quando”:

• Papéis (quem) - Um papel define as responsabilidades de um profissional ou grupo de profissionais que participam do desenvolvimento do projeto. As responsabilidades normalmente estão associadas aos artefatos que cada papel deve produzir e manter ao longo das atividades que realiza. Na prática, um mesmo papel pode ser desempenhado por mais de uma pessoa, assim como uma mesma pessoa pode assumir vários papéis ao longo do projeto.

• Artefatos (o que)- Em sentido amplo, o termo artefato representa um elemento tangível de um projeto. Podem assumir várias formas como: modelo, documento, código fonte ou executável. A MDS não inclui todos os artefatos de um projeto de desenvolvimento, mas todos os artefatos obrigatórios descritos na MDS devem ser elaborados ao longo do projeto. A MDS disponibiliza modelos (templates) para os seus artefatos, com o objetivo de orientar e facilitar a sua elaboração.

• Atividades (como)- Uma atividade na MDS representa um conjunto de passos e tarefas que um profissional, que desempenha o papel responsável por aquela atividade, deve executar para gerar algum resultado. As atividades envolvem a produção e modificação de artefatos do projeto.

• Fases (quando)- As fases da MDS apresentam a sequência e a dependência entre as atividades do projeto ao longo do tempo. As atividades no fluxo são divididas em fases do ciclo de vida do projeto e nos papéis responsáveis pela execução de cada uma.