Estudantes de mestrado da UFRN conhecem atuação do DATASUS

Cerca de 30 estudantes do programa de Mestrado Profissional em Gestão e Inovação em Saúde, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), tiveram um dia de aula diferente e produtivo na última segunda-feira (27). Os alunos conheceram a atuação do Departamento de Informática do SUS (DATASUS-SE-MS) e alguns programas e projetos estratégicos da instituição, como a estratégia de e-Saúde brasileira.

A coordenadora de Desenvolvimento para Disseminação de Informações em Saúde (CDDIS-CGDIS), Márcia Marinho, conduziu palestra sobre os Sistemas e Mineração de Dados na Saúde-A experiência do DATASUS. Durante a exposição, um dos temas discutidos foi a disseminação das informações contidas nas bases de dados dos sistemas de informação em saúde e como a temática influencia positivamente a população.

SISTEMAS DE SAÚDE
Durante um bate-papo descontraído, com espaço para interação dos mestrandos, a coordenadora fez uma abordagem dos sistemas que acompanham todo o ciclo de vida de um cidadão, desde o nascimento até o óbito. É o caso do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), aplicação destinada a registrar cada pessoa vacinada desde o primeiro dia de vida e também do sistema e-SUS Atenção Básica, que estrutura os dados da Atenção Básica em nível nacional, ampliando assim a qualidade no atendimento à população.

Além disso, as ferramentas de disseminação de informações em saúde foram apresentadas aos acadêmicos. Os aplicativos TABWIN e TABNET, elaborados com a finalidade de permitir a realização de tabulações rápidas, têm como objetivo subsidiar analises objetivas da situação sanitária e ainda auxiliar a tomada de decisão e a elaboração de programas de ações de saúde.

Para Marcia Marinho, a aula foi uma oportunidade de aproximar a comunidade acadêmica das ações realizadas pelo DATASUS, ao mesmo tempo que evidencia a importância de os estudantes conhecerem, na prática e na teoria, o desenvolvimento das atividades de informática em saúde do Ministério da Saúde direcionadas à população.

 

Por Samara Neres, NUCOM/DATASUS/SE/MS