Novos supercomputadores viabilizam prontuário eletrônico nacional e Cartão SUS

Ministério da Saúde investe R$ 67 milhões em servidores para integrar dados do atendimento e uso de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS)

31360469432 970ae61216 zO Ministério da Saúde contará agora com servidores capazes de processar todas as informações e lançamentos do SUS simultaneamente. Foram investidos R$ 67 milhões na compra de três supercomputadores que vão ampliar em até 10 vezes o armazenamento de dados. Essa expansão vai permitir a unificação de todos os sistemas de informática da saúde. Com isso, será possível integrar em todo território nacional o uso dos recursos e o histórico de atendimento dos pacientes.

Os novos equipamentos representam redução de gastos públicos, com manutenção dos sistemas e melhoria da gestão da saúde, e ganho para o cidadão, que, em breve, terá atendimento mais ágil por meio do prontuário eletrônico, do Cartão Nacional de Saúde (CNS), do Registro Eletrônico em Saúde, entre outros serviços informatizados nacionalmente. Atualmente apenas três órgãos públicos têm equipamentos com a mesma capacidade: Serpro, Dataprev e Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Saiba mais sobre os supercomputadores adquiridos pelo Ministério da Saúde

A informatização dos sistemas de saúde é uma das prioridades da gestão do Ministério da Saúde. O objetivo é integrar o controle das ações, promover a correta aplicação dos recursos públicos, obter dados para o planejamento do setor e, principalmente, propiciar a ampliação do acesso e da qualidade da assistência prestada à população, tornando o atendimento mais eficiente. A medida ajudará também a reduzir custos, evitando, por exemplo, a duplicidade de exames ou retiradas de medicamentos, além de coibir fraudes.

“Os supercomputadores são uma base para a implantação do Registro Eletrônico em Saúde, onde estarão os prontuários eletrônicos, além de ser um controle de qualidade e avaliação dos serviços públicos de saúde no país”, declarou Barros. Nesta quinta-feira (8), o ministro da Saúde visitou o Centro de Informações do Datasus em Brasília, onde foi instalado dois servidores. O terceiro começa a funcionar ainda neste mês no Rio de Janeiro e terá a função de fazer a segurança das informações.

31136036770 6fcaa6cba7 zCAPACIDADE DE ARMAZENAMENTO - Antes da compra dos supercomputadores, a capacidade de uso de processamento dos servidores estava em torno de 92%. Com a aquisição das máquinas, esse número foi reduzido para uma média de 15 a 20% em horários de pico. Desta forma, a ação permitiu um aumento da velocidade no processamento das informações, tendo em vista a necessidade constante de evolução para atender a demanda crescente dos sistemas de saúde com ênfase aos prontuários eletrônicos de saúde.

A alta disponibilidade alcançada com esta aquisição é condição fundamental para a implantação do Registro Eletrônico de Saúde – RES, que reunirá dados como histórico das consultas, internações, dos medicamentos indicados, resultado de exames e a aplicação dos recursos na saúde. A implantação desta nova plataforma proporcionará uma economia estimada de 10 a 20% dos gastos com Atenção à Saúde, ou seja, de R$ 7 a 14 bilhões por ano. A aquisição está alinhada às diretrizes ministerial e governamental, além de atender a meta de se ter um único Registro Eletrônico Nacional.

PRONTUÁRIO ELETRÔNICO – Encerra-se no próximo dia 10 de dezembro o prazo para a adoção do prontuário eletrônico nas unidades básicas de saúde. Com a plataforma digital, todos os serviços de saúde da cidade poderão acompanhar o histórico, os dados e resultado de exames dos pacientes, verificar em tempo real a disponibilidade de medicamentos ou mesmo registrar as visitas de agentes de saúde, melhorando o atendimento ao cidadão. A transmissão 100% digital dos dados da rede municipal à base nacional permite ainda que o Ministério da Saúde verifique online como está sendo investido cada real do SUS na saúde do brasileiro. 

A plataforma digital permite o acompanhamento do histórico médico do paciente em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS), oferecendo ganho na qualidade e na gestão da Atenção Básica para o gestor, para os profissionais de saúde e para o cidadão.

31136037120 58f278f503 zOUTROS AVANÇOS NA INFORMATIZAÇÃO – Também recentemente, o Ministério da Saúde lançou recentemente o Conjunto Mínimo de Dados (CMD), mais uma ferramenta voltada à otimização do fluxo de informações dos serviços de saúde. O CMD unifica nove sistemas que fazem os registros de atendimentos no SUS em um único layout. Essa ferramenta facilitará o envio e abastecimento de dados, reduzindo o tempo de inserção das informações e tornando sua alimentação mais ágil e prática, evitando repetições e qualificando as informações registradas.

O CMD será fundamental ainda para a economia de recursos dos gestores locais e estaduais de saúde. Além disso, menos usuários terão de ser capacitados para a utilização dos diversos sistemas.

Outro importante avanço é a adoção do Sistema Eletrônico de Informações (SEI), com módulos e funcionalidades que promovem a eficiência na administração. Processos e documentos vão circular apenas por meio eletrônico no âmbito do Ministério da Saúde e órgãos vinculados. O sistema vai evoluir para que gestor e cidadão possam acompanhar o andamento do processo e solicitar informações.

 

Agência Saúde


Ministério da Saúde realiza com sucesso 2º Seminário de Conectividade

semi02O Ministério da Saúde realizou com sucesso, nessa quarta-feira (30/11), mais uma edição do 2º Seminário de Conectividade da pasta no auditório da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP).

Na oportunidade foram apresentadas 16 propostas de soluções inovadoras relacionadas às secretarias de Atenção à Saúde (SAS), Vigilância em Saúde (SVS), Saúde Indígena (SESAI), Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE), Gestão Estratégica e Participativa (SGEP), Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) e Executiva (SE).

Participaram do debate cerca de 120 pessoas ao longo de todo o dia entre colaboradores do Ministério, empresas, associações e startups. O objetivo do seminário, idealizado pelo ministro da Saúde Ricardo Barros, é criar um ambiente de compartilhamento de ideias e discussão de temas relevantes para a Saúde, que visem melhorar os serviços prestados pelas secretarias do Ministério.

A mesa de abertura foi composta pelo o secretário da SESAI, Rodrigo Rodrigues, o diretor do Departamento de Informática do SUS (DATASUS), Marcelo Fiadeiro, o diretor do Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS (DEMAS), Joaquim Costa, o Coordenador-Geral de Infraestrutura do DATASUS (CGIE), Flávio Ferreira, e o Coordenador-Geral de Gestão de Projetos do DATASUS (CGGP), Paulo Kluge.

Fiadeiro reforçou que a finalidade do encontro é fomentar um canal entre as áreas finalísticas e as novas tecnologias. “É preciso que as áreas fins conheçam o que o mercado traz de novas soluções para que possam aprimorar os trabalhos desenvolvidos, contribuindo, inclusive, para a gestão governamental”, lembrou.

1ª Edição

A 1ª Edição do Seminário, realizado em setembro deste ano, contou com exposições de soluções de Tecnologia da Informação (TI) de cerca de 20 empresas devidamente inscritas para participar do evento, cujos projetos tiveram como foco central a gestão hospital, ambulatorial e prontuário eletrônico. 

semi01

Governo Federal cria programa de pesquisa voltado à informatização da saúde

Objetivo é buscar soluções tecnológicas que auxiliem na compilação de dados do SUS, eficiência do atendimento e da gestão. Esta é uma prioridade do ministro da Saúde, Ricardo Barros

O Ministério da Saúde e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) assinam, na tarde desta quinta-feira (10), no Palácio do Planalto, acordo de cooperação para estimular o desenvolvimento de estudos e novas soluções tecnológicas na área da saúde. O tema será o foco de um programa de pesquisa, com editais próprios. O objetivo é ampliar o controle das informações por meio de sistemas, elevando a eficiência e a qualidade dos atendimentos realizados pelo SUS.

A melhoria das informações do SUS e implantação de sistemas mais modernos é uma prioridade do ministro da Saúde, Ricardo Barros. “Nossa intenção é fazer um programa de conectividade federal, estadual e municipal, de todas as ações de saúde, da Atenção Básica, hospitalar e ambulatorial, permitindo um controle absoluto da aplicação de recursos, para proporcionar mais atendimentos de saúde”.

A cooperação com o MCTIC vai reforçar essa meta de informatização dos atendimentos de saúde, como o Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC), que tem prazo final de implantação em todas as unidades básicas de saúde do país até o dia 10 de dezembro, conforme reforçou o ministro. Essa ferramenta permitirá o acompanhamento do histórico, dos dados e do resultado de exames dos pacientes, a verificação em tempo real da disponibilidade de medicamentos ou mesmo registrar as visitas de agentes de saúde, melhorando o atendimento ao cidadão.

A portaria interministerial vai promover a abertura de editais para o desenvolvimento de pesquisas, por meio de entidades e especialistas, nas principais áreas de saúde. Serão promovidos projetos pilotos e ferramentas para integração e iniciativas já existentes.

De acordo com o ministro, os produtos elaborados por meio da parceria vão gerar mais e novos indicadores para a gestão dos recursos do SUS, para a formulação de políticas públicas e para a tomada de decisões eficientes e, também, para qualificar as informações captadas pelos sistemas de informação de saúde. A definição das pesquisas será feita por um grupo de trabalho com participação de representantes dos dois ministérios: Saúde e MCTIC. O regimento interno do grupo será elaborado em 90 dias a partir da publicação da portaria.

A portaria de criação do programa de pesquisa foi formalizada pelos ministros da Saúde, Ricardo Barros, e da Ciência, Tecnologia e Inovação, Gilberto Kassab, durante a reunião plenária do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia. O ato contou com a participação do presidente da República, Michel Temer, que também assinou portarias para liberação de recursos ao Programa de Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT).

TELESSAÚDE – Também nesta quinta-feira, o Ministério da Saúde assinou Termo de Execução Descentralizada (TED) transferindo R$ 3 milhões para o MCTIC, para a manutenção do programa Telessaúde Brasil Redes. O objetivo do programa é otimizar o atendimento à população, conectando profissionais da Atenção Básica a especialistas vinculados a instituições de referência.

O Telessaúde traz diversos benefícios, como a diminuição de riscos, agravos e custos com deslocamentos e remoções de pacientes, valorização e qualificação dos profissionais de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), estímulo à fixação de profissionais em áreas remotas ou de difícil acesso, melhoria da resolubilidade nos serviços de atenção a saúde, e inclusão social e digital.

INFORMATIZAÇÃO – O aperfeiçoamento dos sistemas de informação do SUS é uma das prioridades já anunciadas pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros. O objetivo é integrar o controle das ações, permitindo a correta aplicação dos recursos públicos e o fornecimento de dados adequados para o planejamento e para a execução das prioridades do setor. Uma das mais recentes ações é o lançamento do Prontuário Eletrônico do Cidadão.

Estão sendo desenvolvidos também, por exemplo, o projeto e-Saúde, conjunto de ações que qualifica a gestão da saúde por meio eletrônico, como o Conjunto Mínimo de Dados (CMD), que unificará nove sistemas, o Registro Eletrônico de Saúde (RES), a implantação de biometria no SUS e a Telemedicina.

O Ministério da Saúde ainda será o primeiro órgão da administração pública federal a utilizar os serviços de biometria. Uma parceria com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) irá proporcionar maior segurança no registro e acesso de informações dos cidadãos. A medida vai contribuir para evitar fraudes. O projeto começa em serviços ofertados pela atenção básica já a partir do próximo ano.

Outro importante avanço é a adoção do Sistema Eletrônico de Informações (SEI), com módulos e funcionalidades que promovem a eficiência na administração. Processos e documentos vão circular apenas por meio eletrônico no âmbito do Ministério da Saúde e órgãos vinculados. O sistema vai evoluir para que gestor e cidadão possam acompanhar o andamento do processo e solicitar informações.

Parada técnica programada deixará sistemas inacessíveis

 

 

Em decorrência de uma parada técnica programada na rede interna do Ministério da Saúde, o acesso aos sistemas hospedados nos servidores, em Brasília, ficará indisponível entre 22h da próxima sexta-feira (2/12) até, no máximo, 13h de sábado (03/12). O objetivo é instalar novos servidores para aumentar a capacidade de processamento de dados para atender novos serviços de informatização no país relacionados ao Registro Eletrônico em Saúde (RES) e Cartão Nacional de Saúde (CNS).

-> Exemplos de sistemas de acesso externo que ficarão inacessíveis

- Sistemas do Programa Farmácia Popular

- Sistema de Regulação – SISREG

- Portal do Ministério da Saúde

- Hotsite Combate ao Aedes aegypti

- Blog da Saúde

- Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN

- Registro de Eventos em Saúde Pública - RESP

- Portal de Compras do Ministério da Saúde

- Sistema de Cadastramento de usuários do SUS - CADUS

- Sistema de informação do Câncer – SISCAN

→ Para mais informações, entre em contato com o suporte técnico do DATASUS 136, Opção 8

 

Abertas pré-inscrições para 2º Seminário de Conectividade do Ministério da Saúde

  

Os interessados em participar podem cadastrar propostas até 26/11

O Ministério da Saúde abre seleção para o 2º Seminário de Conectividade, que será realizado no próximo dia 30 de novembro. Empresas, associações, startups e pessoas físicas que queiram propor à pasta soluções inovadoras em Tecnologia da Informação para aperfeiçoar os sistemas da rede pública de saúde já podem realizar sua pré-inscrição online.

Serão selecionados 20 projetos, que devem apresentar propostas relacionadas às secretarias de Atenção à Saúde (SAS), Vigilância em Saúde (SVS), Saúde Indígena (SESAI), Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE), Gestão Estratégica e Participativa (SGEP), Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) e Executiva (SE).

O objetivo do seminário é criar um ambiente de compartilhamento de ideias e discussão de temas relevantes para a Saúde, que visem melhorar os serviços prestados pelas secretarias do Ministério.

É importante ressaltar que não existe nenhum propósito para contratação de soluções de Tecnologia da Informação fora da legislação vigente que rege a Administração Pública Federal.

Pré-inscrições - O cadastro das propostas pode ser feito via Formulário FormSUS. Os selecionados pela comissão técnica, composta por gestores das áreas finalísticas, receberão comunicado via e-mail até o dia 29 de novembro. Os que não forem convocados poderão apresentar novos projetos em edições futuras do evento.

Serviço:

2º Seminário de Conectividade do Ministério da Saúde

Data: 30/11/2016

Programação:

8h - Acolhimento

9h - Mesa de abertura

9h15 às 18h - Apresentação das propostas, com intervalo para almoço.

Local: Auditório da Enap (SAIS – Área 2A – Brasília-DF)

Informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Clique aqui para acessar o formulário de pré-inscrição.