portaria que aprova o Plano Diretor de Tecnologia da Informação do Ministério da Saúde (PDTI/MS), biênio 2017-2018, foi publicada no Diário Oficial da União da última sexta-feira (9/6). O PDTI foi elaborado pelo Departamento de Informática do SUS (DATASUS) e contou com a participação de todas as áreas que compõem o MS.

O PDTI é o plano que define o conjunto de metas e ações que deverão direcionar os investimentos e inciativas em TI durante o período de vigência, buscando o aprimoramento da governança institucional, a fim de reduzir a possibilidade de alocação inadequada de recursos públicos.

Neste sentido, o plano foi produzido a partir de um diagnóstico do Ministério, feito com o objetivo de compreender a situação atual da organização e identificar as necessidades de informações, conhecimentos e tecnologias relevantes para o órgão.

Para o diretor do DATASUS, Marcelo Fiadeiro, grande parte das atividades relacionadas a saúde está no processamento e gestão da informação, serviços altamente dependentes da TI. “Entendo que o fomento à inovação e o emprego intensivo dos recursos de tecnologia da informação são meios de tornar a instituição mais célere e focada no atendimento às políticas públicas de saúde”, afirma.

Clique aqui para consulta e download do PDTI 2017/18

Por Samara Neres, do Nucom DATASUS

e-SAÚDE recebe prêmio nacional de inovação e tecnologia. Plataforma vai permitir que cerca de 170 milhões de brasileiros em todo o país possam ter acesso rápido a serviços.

Escolhida4O ministro da Saúde, Ricardo Barros, apresentou nesta quinta-feira (1º) o aplicativo e-SAÚDE, novo canal de comunicação entre o Ministério da Saúde e o cidadão. A nova ferramenta foi apresentada durante o evento Dados Abertos sobre a Saúde no Brasil, do Google, em São Paulo. O aplicativo foi criado pelo Departamento de Informática do SUS (DATASUS) e oferece, de forma online, informações em saúde de uso pessoal e restrito a cada cidadão brasileiro, como o acesso aos dados do cartão nacional de saúde, lista de medicamentos retirados nas unidades de saúde, acompanhamento do cartão de vacinação, lista de exames realizados, além de outras informações.

A nova ferramenta deverá estar disponível nos próximos dias nos principais sistemas operacionais do mercado, Apple iOS e Google Android e poderá ser acessado por tablets e smartphones.

“A informatização é uma das prioridades dessa gestão. Precisamos usar a tecnologia para integrar os dados da saúde, promover a correta aplicação dos recursos públicos, aprimorar o planejamento das ações e, principalmente, ampliar o acesso e a qualidade da assistência prestada à população, tornando o atendimento mais eficiente”, destacou o ministro Ricardo Barros. Ele ressaltou que o uso da tecnologia evita o desperdício no SUS e permite receber a avaliação do cidadão do serviço utilizado.  “Atualmente, 30% das pessoas marcadas para consultas especializadas não comparecem e não dispomos de agilidade para chamar outra pessoa a esta consulta. Além disso, 50% dos exames de análises clínicas não são retirados”, explicou o ministro, durante o evento desta quinta-feira

Diretor do DATASUS, Marcelo Fiadeiro e coordenadores-gerais com o Prêmio Case de Sucesso Portal IT4CIO

O aplicativo vai aproximar ainda o contato entre os pacientes e as unidades de saúde distribuídas em todo o Brasil, entre elas: farmácia popular, postos de saúde, serviços de urgência, academia da saúde, hospital, maternidade, centro de atenção psicossocial, maternidade e centro de especialidade. Basta o cidadão acessar as informações de onde ele se encontrar, que o aplicativo vai apontar o melhor local para o atendimento. “Se tornou mais simples para o cidadão descobrir onde deve buscar atendimento na rede pública de saúde, já que agora a informação está na palma da mão", observou o diretor do Departamento de Informática do SUS, Marcelo Fiadeiro.

Escolhida1O cidadão vai poder fazer denúncias online por meio da Ouvidoria do SUS 136. Nessa opção, o paciente pode relatar queixas de atendimentos, além de questionar possíveis atendimentos não realizados e que constam no cadastro do usuário do SUS.

Para o funcionamento do aplicativo e-Saúde, o Ministério da Saúde está interligando os sistemas de informação do SUS que já estão em funcionamento. A ferramenta já conta com informações do Hórus, Hemovida, Cartão SUS, CNES, e-sus AB, Ouvidoria e o Sistema DE Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI).

PARCERIA COM O GOOGLE – Durante o eventoDados Aberto sobre a Saúde no Brasil’, em São Paulo, o Google apresentou o resultado da parceria firmada com o Ministério da Saúde para a disponibilização dos dados georreferenciados do Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES). A parceria vai permitir a publicação dos serviços de saúde, tanto públicos como particulares, no Google Maps.  A ideia é facilitar o acesso do cidadão à informação sobre os estabelecimentos de saúde e, com isso, identificar a unidade de saúde mais próxima da sua casa por meio do aplicativo.

O evento teve como objetivo debater os benefícios da política de dados abertos na saúde, promover o uso dos dados disponibilizados pelo governo pela sociedade civil e empresas, além de fomentar a troca de conhecimentos sobre as políticas públicas de dados abertos.

Aplicativo e-SAÚDE recebeu recentementeo Prêmio Case de Sucesso Portal IT4CIO, durante o evento CIO Brasil GOV em Florianópolis (SC)

EscolhidaPREMIAÇÃO – O aplicativo e-SAÚDE recebeu recentementeo Prêmio Case de Sucesso Portal IT4CIO, durante o evento CIO Brasil GOV em Florianópolis (SC).  O objetivo da premiação é dar visibilidade à implantação de uma solução e estimular o compartilhamento de experiências entre os profissionais de Tecnologia da Informação (TI) de todo o país. O Datasus concorreu na etapa final de avaliação do prêmio, com as instituições, Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (CAESB) e a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado do Espirito Santo.

O CIO Brasil GOV foi realizado em Florianópolis, entre os 24 e 28 de maio, e propôs à comunidade de TI do setor público a atualização profissional e integração entre os participantes. Com o tema “Tecnologia Disruptiva”, os executivos puderam debater este termo o qual elucida a ideia de quebra de velhos paradigmas, a fim de apresentar algo altamente inovador.

 

Texto: Agência Saúde

IMG 4674Com o objetivo de debater e repercutir o cenário atual da Segurança Cibernética foi realizado, nessa quarta-feira (29/3), em Brasília, a 4ª Edição do Security Leaders. O evento contou com a presença de profissionais do Departamento de Informática do SUS (DATASUS).

 Temas como a necessidade de uma Política Nacional de Segurança da Informação, avanço dos crimes cibernéticos, transformação digital, segurança em nuvem, certificado digital e biometria foram alguns dos assuntos abordados por representantes de instituições renomadas como ITI, Banco Central do Brasil, Receita federal, Banco do Brasil, Departamento de Segurança da Informação e Comunicações da Presidência da República, Ministério Público Federal, entre outros.

O evento também contou com apresentações de empresas do mercado de segurança que apresentaram, ao longo do dia, análises sobre as novas ameaças virtuais e formas de contê-las.

Além das apresentações, foram realizados três debates, todos mediados pela jornalista Graça Sermoud, diretora editorial das revistas Decision Report e Security Report. Clique aqui para saber os temas de cada um.

Todos os debates contaram com a interação dos participantes por meio de perguntas que foram respondidas pelos profissionais de Segurança da Informação, Tecnologia e Risco presentes na ocasião.

 

 

 

Texto: NUCOM/DATASUS/SE/MS

A nova titular da Coordenação-Geral de Disseminação de Informações em Saúde (CGDIS/DATASUS/SE/MS), Kátia Macarini Gonçalves, foi nomeada em março. Graduada em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Uberlândia, a coordenadora possui especialização em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), além de pós-graduação em Gestão Pública pela Universidade Cândido Mendes.

Com mais de 20 anos de experiência em gestão de Tecnologia da Informação (TI), Kátia já atuou em diferentes áreas como gestão e governança de TI, gestão de projetos, operação e manutenção de sistemas, gestão de serviços, planejamento e gerenciamento de redes. A nova coordenadora exerceu cargos executivos, entre 2001 e 2010, na Confederação Nacional da Indústria (CNI), Brasil Telecom e na Oi.

Kátia é servidora do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão desde 2010 tendo atuado como gestora, em momentos distintos, na Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI), na Empresa Telebras, na Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc), do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e no Ministério do Desenvolvimento, Industria e Comércio Exterior.

Macarini participou, ao longo de sua carreira, de diversos desafios tanto no setor privado como no setor público, incluindo projetos de startup, de lançamento de novas tecnologias e de fusões em empresas de telecomunicações, bem como na implantação de programas para atendimento de políticas públicas e de projetos estratégicos de governo.

No novo cargo, Kátia continuará com o desafio de disseminar as informações de saúde pública no Brasil e também de definir os padrões para a captação, o armazenamento, a segurança e a transferência de informações em saúde.

 

Por Samara Neres, do Nucom DATASUS

Parada técnica acontecerá a partir das 22h do próximo sábado (25). Veja lista com todos os sistemas que ficarão fora do ar ao final desta matéria

Visando a ampliação da capacidade e melhoria dos links de comunicação do Ministério da Saúde, o Departamento de Informática do SUS (DATASUS) informa que haverá a necessidade de paralização de todos os serviços de comunicação hospedados no datacenter do Rio de Janeiro.  A parada técnica programada irá iniciar às 22h do próximo sábado (25) estendendo-se até às 6h do domingo (26).

Isso significa que ficarão fora do ar sistemas como o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), o Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde (SIOPS) e o Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI). (Confira lista completa anexada no final desta matéria).

Os Hospitais Federais do Rio de Janeiro também ficarão sem acesso à internet e ao serviço de correio eletrônico durante a ação. Também ficarão sem acesso à internet os Núcleos Estaduais do Ministério da Saúde localizados nas regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste, que não possuem proxy, ou seja, serviço de servidor que age como um intermediário para requisições de usuários, solicitando recursos de outros servidores.

Lista de sistemas que ficaram fora do AR

Para mais informações:  suporte técnico do DATASUS

Atendimento usuário interno: (61) 3315-2222

Atendimento usuário externo: 136, Opção 8

 

Texto: NUCOM/DATASUS/MS