Em seu último levantamento DATASUS registra 469 vítimas de infarto agudo do miocárdio no Tocantins

Publicado em 31 de julho 2014

O Tocantins registrou no ano de 2012 um total 469 infartos do miocárdio. Deste montante, 296 das vítimas eram homens e 173 mulheres. No Brasil, no mesmo ano, 49.511 homens e 34.602 mulheres foram vítimas de infarto agudo do miocárdio.

O contingente total de mortes decorrentes de doenças do aparelho circulatório - que inclui, além do infarto, a doença cardíaca hipertensiva, doença renal hipertensiva e a hipertensão essencial  - no Estado em 2012 foi de 751, sendo que, 449 vítimas desta quantidade foram homens e 302 foram mulheres. Já no Brasil, 131.558 pessoas morreram no mesmo ano, sendo que, 79.830 vítimas foram homens e 51.728 das mortes foram ocasionadas em mulheres. 

Faixa Etária

Das 449 mortes por doenças do aparelho circulatório masculinas registradas no Estado do Tocantins, 209 vítimas tinham idades entre 60 e 69 anos, 134 tinham idades na faixa etária entre 50 a 59 anos de idade, 81 entre 40 a 49 anos de idade e 25 na faixa etária entre 30 a 39 anos de idade. Das 302 mulheres, 144 foram contabilizadas em vítimas com idades entre 60 a 69 anos, 85 pessoas na faixa etária de idades entre 59 a 59 anos, 44 mulheres com idades entre 40 a 49 anos e 29 mulheres com idades na faixa etária entre 30 a 39 anos de idade.

Já no Brasil, das 79.830 vítimas por doenças do aparelho circulatório masculinas, 37.928 tinha idades na faixa etária entre 60 a 69 anos de idade, 25.668 com idades entre 50 a 59 anos, 11.849 com idades na faixa etária entre 40 a 49 anos e 4.385 entre 30 a 39 anos de idade. Das 51.728 mulheres que foram a óbito em resultado de doenças no aparelho circulatório, 25.544 tinha idades na faixa etária de 60 a 69 anos de idade, 15.641 de 50 a 59 anos, 7.802 com idades entre 40 a 49 anos e 2.741 com idades na faixa etária entre 30 a 39 anos de idade.

Cardiologista

O cardiologista Andres Gustavo Sanchez tem mais de 15 anos de experiência na área e em entrevista ao Conexão Tocantins na tarde da última sexta-feira, 25, explicou os fatores que contribuem para que um indivíduo tenha problemas cardiovasculares. “No geral, no Brasil e no mundo, a primeira causa de morte são as doenças cardiovasculares. E ela tem um aumento por causa do envelhecimento da população, a população está ficando cada dia mais velha, com uma idade média mais alta. Mas também tem os fatores de risco que são pressão alta, colesterol alto, cigarro, diabetes, o sedentarismo, alimentação inadequada, acabam aumentando a incidência de colesterol pressão e diabetes e isso acaba aumentando a incidência de doenças cardiovasculares, o que pode levar a infarto do miocárdio de coração e eventualmente morte”, explicou.

Andres ainda explicou que o número de casos é bem maior nos tempos de agora no Estado porque nos tempos de outrora o diagnóstico não era preciso e as pessoas morriam sem saber a causa. "Muitas vezes os problemas cardíacos passavam despercebidos e as pessoas morriam por uma causa que ninguém sabia o que era. Hoje, aqui no Estado nos temos uma cardiologia atuante, existem procedimentos, exames de diagnóstico. Hoje a gente sabe o porquê", afirmou.

Infarto agudo do miocárdio

O infarto agudo do miocárdio, popularmente chamado de infarto ou ataque cardíaco, é a interrupção na passagem de sangue para o coração, o que causa a morte das células cardíacas.

Hipertensão essencial 

Hipertensão essencial é o termo para a pressão arterial que está mais alta do que a normal. Se exames repetidos da pressão arterial mostrarem que ela está a 140/90 (14 por 9) ou mais alta, você tem quadro de hipertensão.

Doença cardíaca hipertensiva

Doença cardíaca hipertensiva é um resultado de esforço excessivo sobre o coração, devido à tensão arterial elevada. Tornou-se uma das principais causas de ataque cardíaco e derrame.

Estatísticas de 2013 

A exposição completa de dados mais atuais referentes ao ano de 2013 não é possível porque, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) informou ao Conexão Tocantins, os dados referentes ao ano ainda não foram fechados pelo DATASUS - Departamento de Informática do SUS que é integrado ao Ministério da Saúde e divulga os levantamentos. 

Embora os dados demonstrem o alto número de doenças decorrentes do aparelho circulatório, este número pode ser ainda maior devido aos casos que não foram notificados, entrando para as estatísticas de sub-notificação.  

Clínicas e cardiologistas

Segundo o Conselho Regional de Medicina (CRM), o Estado do Tocantins possui atualmente 2.300 médicos ativos. Destes, 41 são cardiologistas. Ainda segundo o CRM, o Estado possui 24 clínicas que atendem cardiologia no Estado, entre elas estão o Hospital Geral de Palmas, Hospital Regional de Araguaína e Hospital Regional de Gurupi.

Fonte: Conexão Tocantins | Redação

Amap Par Roraima Distrito Federal Piau Cear Rio Grande do Norte Paraba Pernambuco Alagoas Sergipe Amazonas Acre Rondnia Maranho Tocantins Mato Grosso Mato Grosso do Sul Gois Bahia Esprito Santo Rio de Janeiro So Paulo Paran Rio Grande do Sul Santa Catarina Minas Gerais