Por que a Segurança da Informação deve ser o alicerce da sua empresa

A segurança deve estar na cultura das companhias como fator fundamental das operações

Sua senha deve ser longa, conter números e letras, incluindo maiúsculas, minúsculas e até caracteres especiais. E não esqueça: deverá ser atualizada a cada 15 dias. Parece exagerado? Pouco prático? Esta é apenas uma das respostas à demanda por segurança da informação no cenário da transformação digital. Não se trata de um “luxo” ou precaução excessiva dos profissionais que lidam diretamente com TI. A segurança é um desafio e um dever de todos os colaboradores em qualquer negócio.

A segurança da informação tem papel estratégico dentro das corporações de qualquer porte, fator essencial para garantir a integridade e confiabilidade em sistemas de informações. Ela precisa ser aplicada para proteger o armazenamento de dados, na transferência de informações, autenticação e controle de acesso. Para isso, podem ser usados diversos sistemas e mecanismos, mas a estratégia por trás dessas soluções é garantir o sigilo e a privacidade de dados confidenciais e dos sistemas de missão crítica para as empresas.

Desafios

Um estudo global realizado pela Dimensional Research identificou que 97% dos executivos de TI das empresas têm investido em soluções voltadas à transformação digital dos negócios, como mobilidade, aplicações e infraestruturas em Cloud e IoT (internet das coisas). Porém, apenas 18% afirmam que a área de segurança tem sido envolvida desde o início nesses projetos. Um descompasso que pode custar caro.

De acordo com o mesmo estudo, 96% dos profissionais entrevistados afirmam que os maiores desafios à segurança em TI são: falta de recursos, riscos relacionados a brechas de segurança, dificuldade de encontrar o equilíbrio entre segurança e produtividade dos profissionais, e falta de monitoramento. É justamente este tipo de vulnerabilidade que os cibercriminosos utilizam para atacar negócios e governos.

Para quem acredita que está fora do alvo, um relatório divulgado pela empresa de segurança FireEye sobre a América Latina aponta o Brasil como o país mais atacado pelas chamadas “ameaças avançadas persistentes” (APT, na sigla em inglês). O setor de finanças é o que recebe mais ataques, mas o mais comprometido é o setor de químicos, mineração e manufatura, que inclui as companhias de petróleo.

Pontos de atenção

As principais ameaças que afetam as empresas atualmente passam pelos ataques distribuídos de negação de Serviços, também conhecidos com DDoS, o roubo de informações e novas formas de espionagem industrial. Nos dois últimos casos, o perigo não é necessariamente externo, mas pode estar “dentro de casa”, com funcionários mal preparados para lidar com a segurança ou até mesmo mal-intencionados.

Qualquer interrupção dos processos de negócios gera perdas gigantescas para as empresas. Prevenir é a melhor estratégia. Quando bem aplicada, a estratégia de segurança, acaba sendo invisível para o negócio. No entanto, se não é bem feita e falha, torna-se evidente por revelar vulnerabilidades e ocasionar comprometimento dos negócios. Garantir a continuidade de serviços e controles de acesso a dados são a chave para minimizar impactos negativos.

Muitas companhias já demandam soluções completas de segurança para suas operações como pré-requisito, mas o mercado ainda está amadurecendo com relação à adoção dessas tecnologias em todas as áreas do negócio. Para algumas empresas a reação a eventos críticos é o gatilho para iniciar uma transformação maior.

Soluções integradas

Nessas horas, é fundamental contar com um parceiro capaz de desempenhar o papel consultivo. Somente um time de experts pode indicar as melhores estratégias de segurança disponíveis para atender às necessidades das diversas camadas dos negócios. Isso passa por métodos de tratamento de informação, revisão de processos, aplicações de soluções de tecnologia segurança e, por fim, sistemas de proteção e controle de informações em diversos níveis.

Uma estrutura dedicada, que oferece gestão centralizada para prevenção, detecção, proteção, reportes e respostas às ameaças e incidentes de segurança com cobertura ininterrupta é o ideal para o seu negócio. Com esses recursos, é possível oferecer soluções integradas, capazes de identificar potenciais exposições em regime 24x7x365. Um modelo que combina agilidade e flexibilidade na entrega de Segurança como Serviço (Security as a Service – SECaaS).

O crescimento de qualquer negócio atualmente passa por reformulações, pela decisão de extinguir, ou até mesmo impulsionar determinadas iniciativas para sobreviver e continuar sendo competitivo. Independentemente do que seja implementado para acompanhar as transformações, a segurança deve estar envolvida em todas as etapas desse processo.

Fonte: http://www.segs.com.br/