Ministério da Saúde

DATASUS

Boletim Conecte SUS traz detalhes sobre piloto da nova versão do PEC/e-SUS APS

publicado: 04/11/2020 17h44,
última modificação: 04/11/2020 17h46

Periódico eletrônico também trata da portaria que regulamenta o CPF como documento de identificação unívoca de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), entre outros temas

Boletim Conecte SUS 9

O Departamento de Informática do SUS (DATASUS) lança mais um Boletim Conecte SUS, cuja edição destaca a integração dos serviços e processos de saúde por meio da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) e o Conecte SUS Profissional. Está prevista para dezembro a integração da nova versão do PEC/e-SUS APS à RNDS para todos os municípios do país – por enquanto, apenas algumas cidades estão participando do piloto do Prontuário Eletrônico do Cidadão/e-SUS APS. A operacionalização conta com o apoio da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) e do Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde (CONASEMS).

A portaria que regulamenta a utilização do CPF como documento de identificação suficiente para registros de saúde do cidadão também é outro assunto abordado na publicação eletrônica deste mês. O objetivo, com a medida, é diminuir a burocracia e simplificar o processo, embora ainda possa valer o uso do Cartão Nacional de Saúde (CNS) na ausência do CPF – caso de crianças e indígenas, por exemplo.  Assim que a portaria for publicada, o DATASUS vai promover as adequações tecnológicas necessárias nos sistemas do SUS para integrar os dados de CPF e CNS.

A nona edição do boletim também abordou o workshop virtual realizado no início de outubro que tratou de FHIR e Modelagem de Informações Clínicas. Técnicos do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), assim como representantes das secretarias estaduais de saúde, participaram do evento. Por fim, o periódico produzido pela Coordenação-Geral de Inovação em Sistemas Digitais (CGISD) também trouxe mais detalhes sobre os microcursos voltados para saúde digital criados pela pasta em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG). São capacitações gratuitas e na modalidade a distância, disponíveis para o público em geral.