Ministério da Saúde

DATASUS

Identificação por CPF e carteira de vacinação digital são grandes novidades para campanha de imunização contra a COVID-19

publicado: 09/10/2020 19h07,
última modificação: 09/10/2020 19h11

Estratégia do DATASUS foi apresentada durante coletiva do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde (MS) promoveu, nesta quinta-feira (8), uma coletiva trazendo as principais informações sobre as vacinas em desenvolvimento contra a COVID-19, bem como os avanços no planejamento da logística e distribuição de doses. Presente no evento, que foi transmitido on-line para todo o país, o diretor do Departamento de Informática do SUS (DATASUS), Jacson de Barros, destacou a modernização do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI). A grande novidade será a adoção de uma estratégia para identificar o cidadão por meio do CPF – o que vai permitir o monitoramento de comportamento adversos – e o registro na carteira de vacinação digital, iniciativa já prevista no programa Conecte SUS.

O secretário executivo do MS, Elcio Franco, informou que o governo brasileiro já aderiu a duas propostas de vacinas: Covax Facility e Astrazeneca/Oxford. Para a primeira delas, estão previstas mais de 40 milhões de doses pelo preço de R$ 2,5 bilhões – sendo que uma parcela no valor de R$ 830 milhões foi paga nesta quinta. Já o contrato com a Astrazeneca, de R$ 2 bilhões, estabelece uma encomenda de 100,4 milhões de doses e a transferência total de tecnologia, permitindo que o Brasil seja capaz de produzir sua própria vacina no segundo semestre do ano que vem. Franco reforçou que a meta é iniciar o calendário de vacinação no primeiro trimestre de 2021.

Participaram também da cerimônia os secretários de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos (SCTIE), Hélio Angotti Neto, e de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros; a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade; e o gerente de Medicamentos e Produtos Biológicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Gustavo Mendes Lima Santos.

Rastreabilidade

A apresentação do diretor do DATASUS detalhou as ações inéditas com foco na rastreabilidade. Diferentemente das outras campanhas de vacinação, a da COVID-19 terá como objetivo que cada dose distribuída seja identificada na carteira de vacinação do paciente, o que vai gerar mais controle, evitando que uma mesma pessoa tome vacinas diferentes; além de conseguir monitorar reações adversas na população.

Com o advento da carteira de vacinação digital, o DATASUS estuda a criação de um certificado de vacinação em formato de PDF e com QRCode de validação, com a garantia de segurança do documento emitido. O cidadão poderá acessar a carteira de vacinação por meio do aplicativo do ConecteSUS ou qualquer ponto de computador com acesso à internet. Além dele, também o profissional de saúde poderá visualizar o certificado.

Coletiva 08 de outubro de 2020