Ministério da Saúde

DATASUS

Ministério da Saúde disponibiliza plataformas para o registro da campanha de vacinação contra a COVID-19 e a integração com a RNDS

publicado: 01/02/2021 18h45,
última modificação: 02/02/2021 14h40

O Ministério da Saúde (MS), por meio do Departamento de Informática do SUS (DATASUS), modernizou o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) para atender às necessidades do registro da Campanha de Vacinação contra a COVID-19.

A orientação da pasta é que Estados, Municípios e Distrito Federal concentrem todos os registros no SI-PNI, que já está integrado à Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS). Com a união das três esferas de gestão do SUS (municipal, estadual e nacional), espera-se que os operadores do sistema de informação possam desempenhar com qualidade, oportunidade e regularidade o registro dos dados no estabelecimento de saúde e a transferência para a base nacional de imunização.

A RNDS permitirá ainda a disseminação dos dados no painel Brasil Imunizado – Somos uma só Nação no LocalizaSUS, além de promover a transparência durante a campanha da COVID-19, mostrando os dados do progresso da vacinação, como a correta aplicação dos imunizantes e o registro de evento adverso após o recebimento da vacina. Outra vantagem é o acompanhamento pela população imunizada através do Conecte SUS Cidadão, com a Carteira Nacional Digital de Vacinação e a emissão do Certificado Nacional de Vacinação pelo aplicativo mobile.

Como acessar o SI-PNI e registar as doses aplicadas?

O usuário deverá acessar o SI-PNI através do portal (http://si-pni.saude.gov.br/) e deverá clicar na opção de primeiro acesso no sistema, o mesmo será direcionado para a página do Sistema de Cadastro e Permissão de Acesso (SCPA), onde deverá realizar o seu cadastro e opção SI-PNI  conforme perfil solicitado.

Após a realização do cadastro a equipe técnica responsável irá analisar a solicitação do cadastro na Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) que irá aprovar a solicitação, desde que os dados estejam de acordo com as regras de acesso ao sistema.

Ao ser aprovado, o usuário receberá um e-mail de confirmação para o registro de vacinação no sistema.

Os estabelecimentos que, por algum motivo, não conseguirem lançar os registros no ato da imunização, poderão inserir os dados posteriormente no sistema após o encerramento do horário de vacinação.

O MS reforça que o ideal é que o registro seja realizado no momento da aplicação da dose, permitindo, dessa maneira, um acompanhamento constante dos cidadãos que estão sendo vacinados.

O Ministério da Saúde reforça que abriu um canal de suporte para os usuários do sistema através do e-mail sipni@saude.gov.br, onde os usuários poderão encaminhar dúvidas e solicitar orientações sobre o acesso e a navegação na plataforma, visando uma melhor experiência dos usuários na utilização do sistema e garantindo o registro dos dados da campanha no sistema oficial do MS.

Como os estabelecimentos deverão integrar seus sistemas próprios junto à RNDS

O DATASUS disponibilizou no Portal de Serviços do Ministério da Saúde, através da opção SI-PNI, toda a orientação necessária para que os estabelecimentos de saúde público e privado dos Estados, Munícipios, Distrito Federal, possam conectar os dados dos seus sistemas próprios junto à RNDS de modo seguro da Vacinação contra a Covid-19.

O departamento também mantém público o Guia de Integração à RNDS e disponibilizou equipe de suporte por meio do e-mail (rnds@saude.gov.br), facilitando, assim, a integração de todo o Brasil com a rede.

Para efetuar o cadastro da solicitação de acesso é necessário fazer o upload de um certificado do tipo e-CNPJ ou e-CPF ICP-Brasil. O certificado ficará associado ao estabelecimento de saúde (ou lista de estabelecimentos de saúde) informado na solicitação de acesso.

Aos estabelecimentos que não possuem internet

Está previsto para as salas de vacina sem conectividade um módulo off-line: o e-SUS AB. Os profissionais de saúde registrarão as doses no sistema e a Secretaria de Saúde responsável deverá consolidar as informações nesses locais e enviar para o Ministério da Saúde em até 48 horas após a vacina ser administrada.

Os registros nominais e individualizados devem ser realizados em formulários padronizado contendo as dez variáveis mínimas. Sendo 28 elas: CNES – Estabelecimento de Saúde; CPF/CNS do vacinado; Data de nascimento; Nome da mãe; Sexo; Grupo-alvo (idoso, profissional da saúde, comorbidades, etc.); Data da vacinação; Nome da Vacina/fabricante; Tipo de Dose; e Lote/validade da vacina.

Posteriormente, esses formulários deverão ser digitados no sistema de informação.