Ministério da Saúde

DATASUS

Metodologia de Administração de Dados - MAD

Sobre a MAD

A elaboração da Metodologia de Administração de Dados – MAD é uma iniciativa da Divisão de Análise e Administração Estratégica de Dados (DAAED) contendo a regulamentação e descrição dos padrões e procedimentos a serem adotados quando da necessidade de realização de tarefas relativas à área de Administração de Dados, bem como de ferramentas técnicas necessárias para o desenvolvimento de seus trabalhos.

Nesta metodologia estamos tratando o padrão de nomenclatura para objetos de banco de dados, a  definição de boas  práticas para construção e manutenção de modelo de dados e a sua documentação. Este o processo é imprescindível para a gestão do  modelo corporativo do Ministério da Saúde (MS).

A sua utilização permitirá padronizar a construção e manutenção de modelos de dados com mais qualidade e documentação adequada à compreensão destes.

 Estrutura geral

A MAD está baseada nas boas práticas de mercado e padrões próprios, como: artefatos, formulários e instruções adequadas ao Ministério da Saúde.

Ela está estruturada nos seguintes elementos básicos:

  • Documentação Documentos que devem ser disponibilizados pela equipe responsável pelo sistema ao qual o modelo deverá atender.
  • Fase – Detalhamento dos subprocessos que compõem o processo de modelagem de dados sendo utilizada a MGP-SISP como referência para detalhar os subprocessos. A MGP-SISP é uma Metodologia de Gerenciamento de Projetos (MGP) do Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação (SISP). O SISP é responsável por planejar, coordenar, organizar, operar, controlar e supervisionar os  recursos de tecnologia da informação dos órgãos e entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, em articulação com os demais sistemas utilizados direta ou indiretamente na gestão da informação pública federal.  Este sistema foi instituído pelo Decreto 7.579 de 11 de outubro de 2011, e a  Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP) é o seu  órgão central.
  • Prazos Para os tipos de serviços relacionados com a Administração de Dados (AD) não existe contagem de tempo associada com ponto de função, sendo que normalmente o serviço é contabilizado em UST (Unidade de Serviço Técnico) ou em horas. Para a modelagem de dados no MS foi definida uma estimativa de tempo a ser gasto para construção / manutenção de modelagem de dados e que está contido na MAD.
  • Padrão de Nomenclatura – Padrão de nomes de objetos de banco de dados, independente do tipo de SGBD utilizado. No MS são utilizados os seguintes SBGD: MySQL, SQLServer, Postgres e Oracle, sendo que ??% dos sistemas utilizam este último..
  • Orientações para Modelagem de Dados – Padrões e diretrizes para uma modelagem de dados de qualidade e sua documentação adequada ao entendimento do modelo. As orientações aqui definidas devem ser obrigatoriamente seguida.
  • Artefatos Em sentido amplo, o termo artefato representa um elemento tangível de um projeto. Podem assumir várias formas como: modelo, documento, dicionário de dados, script. Além disso, MAD disponibiliza modelos (templates) para os seus artefatos, com o objetivo de orientar e facilitar a sua elaboração.
  • Papéis  – Um papel define as responsabilidades de um profissional ou grupo de profissionais que participam construção / manutenção de um modelo de dados. As responsabilidades normalmente estão associadas às equipes em que cada um atua. 

 Documentação

Construir modelos de dados, isto é, entender e registrar formalmente os dados de uma realidade de negócio da instituição, especificando-os em um artefato denominado Modelo de Dados. Para isso, devem-se traduzir os requisitos de informação em entidades negociais com seus atributos e relacionamentos entre estas, incluindo as respectivas regras negociais, associados aos processos de decisão e operação institucionais.

Para a construção / manutenção de modelos de dados  é preciso que a equipe de desenvolvimento disponibilize a documentação do sistema, e os padrões e  regras do MS a serem seguidos estão definidos nos itens “Norma e Padronização de Nomenclatura” e “Orientações para Modelagem de Dados“.

Com isso obtemos modelos de dados:

  • aderente as regras de negócio do sistema;
  • em conformidade com os padrões definidos;
  • com qualidade e documentados, de acordo com práticas de mercado;
  • com reutilização de objetos de banco de dados.

A documentação a ser disponibilizada pela equipe de desenvolvimento é de acordo com a categoria de modelagem de dados indicada a seguir:

  • Novo: Nesta categoria são construídos modelos de dados para projetos de um sistema como um todo, ou para atender um módulo / funcionalidade de um sistema.
  • Manutenção: Nesta definição estão os projetos cujos modelos de dados foram construídos pela AD ou legados já internalizados.
  • Necessidades especiais estratégicas: Projeto novo ou de manutenção, mas cuja execução deve ser feita com urgência, não seguindo os trâmites normais e cronograma definidos para as outras categorias.
  • Homologação: Nesta categoria o modelo / manutenção é de responsabilidade do modelo de dados da equipe responsável pelo sistema. Se há entrega de documentação, o modelo será analisado segundo os padrões do MS e mais a aderência ao negócio. Não havendo entrega de documentação, somente serão avaliados os padrões do MS.
  • Legados não internalizados: Nesta categoria não há entrega de documentação, sendo a responsabilidade do modelo de dados da equipe de desenvolvimento e na avaliação serão analisados somente os padrões do MS.

 A documentação exigida para cada categoria de projeto é definida de acordo com a tabela descrita a seguir:

Um ponto importante a ser observado é que no caso de construção / manutenção de modelos de dados que ficam sob a responsabilidade da AD o trabalho abonecos ser feito é a “4 mãos”, pois é um esforço conjunto entre a AD e a equipe de desenvolvimento.